Serviços Gerenciados na Nuvem vs On-Premise

Qualquer profissional que acompanhe minimamente o mercado e os avanços tecnológicos, sabe que a utilização da nuvem representa uma base fundamental para a competitividade das empresas no mundo atual. Uma discussão que precisa ser ampliada, porém, é a evolução que os Serviços Gerenciados de nuvem também sofreram nos últimos tempos.

O que são Serviços Gerenciados?

Os Serviços Gerenciados, do inglês “Managed Services”, são amplamente utilizados por empresas há décadas. Um exemplo bem comum de utilização destes serviços ocorre quando uma empresa A, dona de um determinado serviço ou produto, contrata uma empresa B para gerenciá-lo. Esse gerenciamento envolve uma gama enorme de serviços, que começam na migração e estruturação do ambiente, passam pela otimização e evolução e alcança a monitoração e suporte através de NoC.

Neste exemplo simples, enquanto a empresa A é o cliente final, a empresa B é chamada de MSP (Managed Services Provider), e basicamente é responsável por manter a operação de serviços da empresa A em funcionamento, de acordo com as necessidades do projeto.

MSP’s variam grandemente seu escopo de serviços. Podem ter times e infraestruturas completamente internas, ou podem subcontratar outras empresas para prestar os seus serviços. Para o cliente final isso normalmente é irrelevante: o que importa são os serviços entregues pelo MSP.

MSP’s tradicionais

Um MSP tradicional normalmente possui, além de um time responsável pelo gerenciamento dos ambientes e serviços, uma infraestrutura para suportá-los. Esta infraestrutura, tradicionalmente são datacenters ou colocations em datacenters. Desta forma, dentro do modelo de negócio dos MSP’s está inclusa a locação destes recursos de infraestrutura.

As ferramentas utilizadas pelos MSP’s tradicionais normalmente são clássicas. Ferramentas de monitoração, de virtualização etc. Serviços instalados e suportados dentro de seus datacenters.

Next Generation MSP’s

A nuvem introduziu no mercado mudanças radicais no modo de gerenciar a infraestrutura. Elevou os trabalhos de automação de algo interessante para algo fundamental. Favoreceu a expansão do DevOps, e todos os benefícios de escalabilidade e disponibilidade.

Todas estas mudanças demandaram também uma elevação nos serviços entregues pelos MSP’s tradicionais. As ferramentas, os processos, as metodologias clássicas demandaram evolução e, nem todas as empresas deste segmento, foram capazes de acompanhar este processo.

Surge ai o conceito de “Next Generation MSP’s”. De fato, uma nova geração de MSP’s adentrou ao mercado, focados muitas vezes em ofertas de Cloud Computing, capazes de utilizar o que há de melhor neste mundo novo.

A infraestrutura não é mais propriedade do MSP, mas de um Cloud Provider, e o papel do MSP é exatamente utilizar os recursos de nuvem do melhor modo possível, adicionando ferramentas e soluções que elevam o patamar do próprio Cloud Provider, entregando algo além do que este último é capaz.

Dois itens são fundamentais aos MSP’s de nova geração: automação e DevOps. São duas “balas de prata” que representam, de modo inequívoco, a transição para um mundo repleto de possibilidades.

Migrar para a nuvem para utilizar simplesmente máquinas virtuais pode ser interessante. Mas algo muito distante de explorar e perceber o verdadeiro valor da nuvem. Por outro lado, a nuvem disponibiliza diversos serviços e recursos para promover automação e DevOps, mas nem sempre o cliente final é capaz de utilizá-los.

Nestes casos o MSP é fundamental. Ele complementa a oferta, e oferece “braço” para que o cliente final se beneficie de todos os recursos de um Cloud Provider.

Além disso, as ferramentas utilizadas evoluíram. Passam a ser mais inteligentes. Capazes de utilizar recursos de inteligência artificial, machine learning e outras. Expandindo (e muito!) o leque de funcionalidades. Com isto, os times de operação passam a ter a oportunidade de atuar muito mais de modo preventivo do que corretivo, ou seja, “apagando menos incêndios”.

A BRLink possui uma oferta de serviços que a posiciona como um Next Generation MSP. Com diversos clientes em todo o Brasil, possui experiência em projetos de migração e gestão de ambientes na nuvem da AWS e Azure.

Um abraço!